quinta-feira, 23 de julho de 2015

FLIP 2015


Olá pessoal! Tudo bem?

Sei que estou meio, ou talvez, muito sumida. Mas, volto contando tudo que aconteceu na FLIP (Feira Literária Internacional de Paraty), que aconteceu de 1 (quarta-feira) a 5 (domingo) de julho.

Lembrando que eu só pude ir no dia 2, quinta-feira.

O Homenageado da FLIP esse ano foi Mario de Andrade, personagem que conheci na Escola Arte Parlendas, quando estudei a pintora Tarsila do Amaral.

Foi uma das FLIPs mais especiais, por causa do convite que recebi para participar do programa “Carro-céu de Histórias” que prestou uma linda homenagem ao grande amigo Zé Zuca, que apresentava o programa Rádio Maluca (clique aqui para saber mais).

Na quinta feira, chegamos à tarde e fomos para o Centro Histórico. Lá, encontramos uma dupla de cantadores de cordel: Querindina e Macambira, que são de Esperança, que fica a aproximadamente 160 km de João Pessoa, na Paraíba. Muito animados, frequentam a FLIP há muito tempo. Também encontramos a escritora Isa Saraiva, de Santa Catarina. Todos esses citados são independentes e estão na FLIP para mostrar o trabalho, como eu. Logo depois, esbarramos com o Palhaço Bruno, um dos animadores da Tenda Central da Flipinha, ele faz brincadeiras muito divertidas. Depois, fomos jantar na melhor pizzaria de Paraty - a Pizzaria da Cidade, onde fizemos vários amigos.

Na sexta-feira, assistimos ao Espetáculo de A a Zigg com o nosso amigo Ivan Zigg, que é autor e ilustrador, no Sesc Paraty. Gostamos muito!
Saindo de lá, encontramos dois amigos: Francisco Gregório e Tino Freitas. Com eles, estava a escritora Alessandra Roscoe, que eu não conhecia. Também na sexta, encontramos pelo terceiro ano seguido Ancelmo Gois, colunista do Jornal O Globo. Mais tarde, encontramos Andrea Viviana Taubman, escritora.
Outro fato legal da sexta foi a mesa “Brasil: uma aula” com Heloisa M. Starling e Lilia M. Schwarcz, na Tenda dos Autores, onde eu era louca para entrar. Foi uma aula maravilhosa sobre o nosso país, falaram da escravidão e da liberdade ao longo de nossa história.
À noite, retornamos ao Sesc Paraty para a Maratona da Palavra, uma atividade com doze horas de histórias e atividades. Assisti algumas atividades. Entre elas, as de Rosana Mont’Alverne (escritora e editora de Minas Gerais) e Glauter Barros.
E, como não poderia deixar de fazer, divulguei meus livros.

No sábado, conheci pessoas na pousada que eu e minha família estávamos, mostrei minha obra e dei vários autógrafos. Depois, saímos para o Centro Histórico e assistimos o “Espetáculo Felinda” com “A Carroça de Mamulengos” do Instituto Gandarela, foi demais!!!
Depois, demos um exemplar do meu segundo livro e outros exemplares de outros livros para o mediador da Tenda Central da Flipinha, Themis Correa. Todo ano fazemos essa doação para que haja sorteio. Depois, fomos à Casa de Cultura de Paraty assistir à mesa  “Juventude, cultura e território”, mediada por Rafael Dragaud com a participação de Binho Cultura, Adailton Medeiros e Jailson Souza e Silva. Os três falaram de seus projetos nas áreas onde residem, em especial o Adailton Medeiros, que é morador de Anchieta é o idealizador do Ponto Cine, um cinema com preços populares no bairro de Guadalupe.
Logo após, fomos à Biblioteca da Casa Azul para assistir a atividade “Escritores estreantes”, mediada pela bibliotecária Gláucia Mollo com a participação de José Eugênio, escritor mirim, como eu. Para finalizar o dia com muita risada, fomos ao Silo Cultural ver a apresentação dos nossos amigos Jujuba e Ana Nogueira, com a abertura de Luiz Perequê, músico de Paraty, que também deu o show de abertura da FLIP (que foi na quarta-feira).
À noite, encontramos os amigos Pedro Gerolimich, Arlene Costa e Lucia Morais.
Para fechar nossa última noite com chave de ouro, comemos uma deliciosa pizza. Huumm!!!

No domingo, assistimos à uma apresentação de capoeira “Roda literária com mestre Camisa e integrantes da Abadá-Capoeira”. Logo depois, começaram a arrumar o palco para o "Carro-céu de histórias", que eu participei. Às 13h, o programa foi ao ar com muita alegria e diversão. Depois, o clima ficou saudoso, pois fizemos uma homenagem ao querido Zé Zuca, citado no início do texto. 
Após a apresentação, muitas pessoas da plateia vieram me conhecer e adquirir meu livro autografado!
Neste momento também ganhei um livro: Águas vermelhas: a paixão que mudou uma vida de Izabel Pimentel, na hora foi tudo muito rápido e apenas agradeci. Quando cheguei em casa comecei a ler e me deparei com uma história apaixonante de perseverança, com belas fotos, super recomendo a leitura.
Antes de irmos embora, fomos nos despedir de Querindina e Macambira. Nessa hora, conheci o escritor de cordel Paulo Cavalcante, de Campina Grande (PB).

OBS1.: se vocês repararem, muitos nomes estão em forma de link. Se vocês clicarem, irão direto para o site ou Facebook que se refere à pessoa! Experimentem!

OBS2: As fotos da FLIP 2015 estão na aba FLIP no blog. As abas do blog ficam logo abaixo do título.

Abraços, Mariene Lino!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar seu comentário, ele irá direto para avaliação. Obrigada!!!